Week 2/52

, 2 comentários



WEEK 2/52
Antes de mais, devo pedir desculpa pela demora neste post, mas época de exames não perdoa… não tive muito tempo livre e também não ia criar o post da semana dois sem uma critica literária. Assim sendo, decidi esperar um pouco! Espero que não atrase também a próxima semana… tenho que me apressar a escolher e ler o próximo livro!


Tema: Neblina


Esta fotografia foi tirada hoje de manhã. Quando saí do comboio fiquei fascinado com a névoa que pairava, não consegui resistir à tentação; peguei na máquina fotográfica e comecei a fotografar tudo o que via. Conclusão: para além de ter substituído a fotografia que já estava mais que pronta para postar, atrasei-me meia hora! Pois… Acho que valeu a pena!

“Hoje lembrei-me de ti. À ida para o trabalho, não consegui deixar de passar pelo parque. Sentei-me naquele banco que nos costumávamos sentar. Durante algum tempo, fiquei ali, a apreciar a neblina que pairava no ar. A mesma névoa, todas as manhãs. Contudo agora não me fazes companhia. Agora sei que não posso contar contigo para aqueles passeios por este lugar deserto, com um café numa mão e um cigarro na outra. Ah, como sinto saudades das nossas conversas…
Mas sei que não voltas. Já me acostumei à ideia, conformei-me com a realidade… No entanto custa. Queria que estivesses aqui, a meu lado, queria poder falar contigo, escutar os teus conselhos, ouvir as tuas gargalhadas que sempre me punham bem-disposto…
Era tão bom se pudesses voltar…”
Uma pequena lágrima desceu o rosto de José, ao mesmo tempo que se levantou, cabisbaixo. Pousou uma rosa branca em cima da laje em sua frente, virou as costas e seguiu lentamente o seu caminho.


Livro da semana: Sangue-do-Coração


Autor:Juliet Marillier
Editora: Bertrand Editora
Data de Publicação:2010
Encadernação: Capa Mole - 399 páginas
Idioma: Português
ISBN: 9789722521741
Preço: 18,12€

Sinopse:

Uma floresta assombrada. Um castelo amaldiçoado. Uma jovem que foge do seu passado e um homem que é mais do que parece ser. Uma história de amor, traição e redenção...
Whistling Tor é um lugar de segredos, uma colina arborizada e misteriosa que alberga a fortaleza deteriorada de um chefe tribal cujo nome se pronuncia no distrito em tons de repulsa e de amargura. Há uma maldição que paira sobre a família de Anluan e o seu povo; os bosques escondem uma força perigosa que pronuncia desgraças a cada sussurro.
E, no entanto, a fortaleza abandonada é um porto seguro para Caitrin, a jovem escriba inquieta que foge dos seus próprios fantasmas. Apesar do temperamento de Anluan e dos misteriosos segredos guardados nos corredores escuros, este lugar há muito temido providencia o refúgio de que ela tanto precisa.
À medida que o tempo passa, Caitrin aprende que há mais por detrás do jovem desfeito e dos estranhos membros do seu lar do que ela pensava. Poderá ser apenas através do amor e da determinação dela que a maldição será desfeita e Anluan e a sua gente libertados...

Opinião:

Devo admitir, estava algo reticente quando comecei a ler este livro. O titulo não me chamou a atenção, a capa não faz muito o meu género e nunca tinha lido nada da escritora… foi preciso um momento de coragem para o retirar da estante e começar a ler.
Rapidamente me cativei com a leitura, principalmente por causa do mistério que envolve Wishling Tor. Sim, admito que basta um pouco de sobrenatural para me chamar a atenção, mas neste caso é um pouco diferente.
Juliet Marillier criou um leque de personagens bastante apelativas e interessantes, criando ao mesmo tempo um enredo tão misterioso como apaixonante.
Um dos principais pontos positivos é a profissão da personagem principal. Achei simplesmente soberbas todas aquelas descrições do trabalho de Caitrin, a beleza que é atribuída à arte de escrever fez com que eu próprio tivesse vontade de escrever em antigas folhas de pergaminho, rodeado de tintas e penas, a criar os mais belos traços e desenhos no papel – como se eu tivesse uma caligrafia apresentável...
Sim, foram passagens que me agradaram particularmente.
Agora vem o não tão positivo… na minha opinião, a história de Caitrin simplesmente não colou! Achei o enredo demasiado forçado, demasiado irreal (o que até soa ridículo, pois em relação à parte de fantasia não tive quaisquer problemas, agora os dramas do dia-a-dia…), assim como a viagem que ela faz num dos momentos mais importantes de Wishling Tor…simplesmente inadequada!
Em relação às personagens, tenho algumas coisas a dizer, mas vou tentar não estragar a história para quem ainda não leu:
Muirne – Eu sabia!
Rioghan – sem dúvida interessante, leal e com um passado que me fez admirar ainda mais esta figura que me aguçava a curiosidade.
Hoste – este conjunto de personagens funciona como um elemento bastante volátil e variado, o que resulta num óptimo compasso, dando ritmo e um novo fôlego à narrativa sempre que esta corre o risco de se tornar desinteressante. A sua criação, os seus elementos, as suas limitações, as suas potencialidades... tantas coisas que não consegui decidir-me sobre o que me agradou mais!

Uma bela história, na qual uma eminente batalha é pautada por uma agradável dose de mistério, um final bem pensado e belo, que nos deixa com um sorriso nos lábios, sabendo que aquelas personagens que nos tocaram no coração tiveram um desfecho merecido!

Week 1/52

, 0 comentários


WEEK 1/52




Tema: Religião

Bem, devo dizer que não estava à espera de criar um tema para cada semana, mas, no decorrer desta semana tudo levou a que tivesse que optar por este tema.
Antes de mais, tenho duas ou três palavras a dizer sobre o assunto…
Religião: do latim religio, religare [religar, ligar bem]; um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e os valores morais.
Na minha opinião, a religião surgiu exactamente porque existia a necessidade em acreditar nalguma força superior, num Deus que nos criou… Sou muito céptico relativamente a este assunto. Não acredito que uma religião criada por homens possa corresponder a uma realidade divina. Não! No máximo traduz a vontade, a necessidade de acreditar em algo, nada mais.
No entanto, a meu ver, a religião é mais do que uma simples crença das pessoas. Traduz-se na cultura, na educação, no estilo de vida e até na forma de pensar das pessoas. Mesmo que não acreditemos verdadeiramente numa determinada religião, o facto de termos sido educados à luz dos seus valores fará com que a nossa forma de pensar se tenha moldado, mesmo que subconscientemente, àqueles valores defendidos pela religião.
À partida, não considero que tal seja maléfico para a formação do Ser Humano como Pessoa, no entanto, acho que é necessário redefinir alguns valores. A nossa sociedade está em constante desenvolvimento, valores novos se levantam e outros perdem o sentido, chegou a altura de acabar com as caças às bruxas!


Livro da semana: Jesus, o Bom e Cristo, o Patife



Autor: Philip Pullman
Editora: Teorema
Data de Publicação: 2011
Encadernação: Capa Mole - 192 páginas
Idioma: Português
ISBN: 9789726959786
Preço: 15,90€


Sinopse:
«Esta é a história de Jesus e do seu irmão Cristo, de como nasceram e viveram e de como um deles morreu. A morte do outro não pertence a esta história.» Neste romance fascinante, Philip Pullman desdobra em duas a personagem central de um dos mais célebres mitos do mundo ocidental. Jesus é um pregador imbuído de fé e intransigente nos princípios; o seu gémeo, Cristo, inventa milagres e compõe uma narrativa sobre a qual se edificará o poder da Igreja.


Opinião:

Devo dar os meus parabéns ao escritor. Em primeiro lugar, pois é necessária extrema coragem para pegar na história que serve de base para toda uma Religião; em segundo lugar, pois ele manteve a sua característica qualidade literária e conseguiu transformar a história de tal modo que, mesmo sabendo os acontecimentos por ele narrados, faz com que o leitor simplesmente não consiga pousar o livro.
Capítulos pequenos pautam a história a um ritmo rápido e conciso, havendo contudo espaço para deixar crescer as duas personagens principais de tal modo que são despidas de toda a santidade que as envolve, tornando-as tão humanas quanto nós, mas sempre com o cuidado de as polvilhar com brilhantes reflexões que nos fazem parar alguns segundos para pensar.
Não é um brilhante romance histórico, mas não é por isso que perde importância. Aconselho este livro a toda a gente, visto ser uma história com muito mais sentimento e moral que – atrevo-me a dizer – a versão original, e decerto agradará o leitor de um modo geral.

52 Weeks

, 0 comentários

Com um novo ano, novos objectivos!
Por vezes, sinto que a inspiração fugiu e me abandonou, levando com ela a vontade e o gosto pela literatura. Cada vez menos tenho tempo para estas pequenas coisas, e, quando tenho, simplesmente não consigo encontrar força em mim para as fazer. Quanto a vocês não sei, mas eu fico deprimido por não conseguir fazer aquilo que gosto!
E, devo afirmar que, para agravar a situação, sinto que a minha maquina fotográfica está parada há demasiado tempo!
Assim, com o começo de um ano, vou tentar começar um novo hábito: 52 semanas, 52 livros, 52 histórias, 52 fotos...
Talvez demasiado ambicioso, mas acho que não custa tentar!
Aqui fica uma nova promessa para 2012, esperemos que consiga chegar ao fim!
Até ao proximo post! ;)

A New Day

, 1 comentários


Porque qualquer dia tem novas possibilidades,
Porque qualquer dia tem novas aventuras,
Porque qualquer dia tem novos horizontes,
Porque qualquer dia tem um novo amanhecer,
Porque qualquer dia trás uma nova esperança,
Qualquer dia é o dia perfeito para recomeçar!
E que a inspiração se mantenha eterna*

O correr da água

, 0 comentários


Por vezes, a nossa vida é calma, agradável e tranquila… tal como as águas de um rio numa bela manhã de verão. Sorrimos, ao sentir o sol reflectir na nossa face e uma brisa leve e suave a soprar gentilmente no nosso corpo. Era tão bom que pudesse ser sempre assim!


Mas os rápidos estão por perto, sempre ao virar da esquina. Assim, temos que aprender a correr, saber lutar contra os obstáculos e não perder a coragem! Existe sempre um final, um sítio onde a corrente volta a acalmar e podemos de novo apreciar a paz e a calma que consegue ser a vida... só temos que tentar lá chegar!



Como é claro, essa paz não será eterna! Teremos de enfrentar novas batalhas contra as correntes da vida, mas porque não faze-lo com um sorriso no rosto ao pensar no futuro risonho que se avizinha?

A Preto e Branco...

, 1 comentários


"A pequena aldeia parecia abandonada. Não se via vivalma, o silêncio era absoluto. Subitamente, os sinos da igreja começaram a tocar, fazendo-me saltar. Voltei-me de frente para a igreja, reparando pela primeira vez na natureza que me envolvia. As árvores, cujos ramos se torciam em ângulos complicados estavam mortas, desnudas da sua beleza. Fui invadido por uma sensação inquietante, algo não estava bem."

The Man Who Can't Be Moved

, 2 comentários

"Maybe i'll get famous as the man who can't be moved
Maybe you wont mean to but you'll see me on the news
And you'll come running to the corner
cause you'll know it's just for you
Im the man who can't be moved

video

Cause If one day you wake up and find your missing me
and your heart starts to wonder where on this earth I could be
Thinkin maybe you'll come back here to the place that we'd meet
And you'll see me waiting for you on our corner of the street
So I'm not moving, I'm not moving..."

    Seguidores